segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

They had no choice

Falar de War Horse sem falar deste monumento seria deixar a coisa pela metade. O Animals in War Memorial, concebido pelo escultor inglês David Backhouse e inaugurado em Londres em 2004, em Brook Gate, junto ao Hyde Park, é o monumento dedicado aos animais que pereceram ao serviço do exército britânico ao longo da história. Nem sei dizer a que ponto me comove. Vejam aqui algumas histórias.

Duas inscrições na pedra. A primeira é uma dedicatória:

«This monument is dedicated to all the animals
that served and died alongside British and allied forces
in wars and campaigns throughout time»

A segunda, muito curta, faz com que os olhos se me encham imediatamente de lágrimas:

«They had no choice»





13 comentários:

  1. tão bonito! e tão justo... e eu nunca reparei nele.

    ResponderEliminar
  2. Lindo e tão justo, não é?

    Aposto que da próxima vez merecerá uma paragem e um olhar atento.

    ResponderEliminar
  3. lindo e justo no sentido de que não fiquem esquecidos como seres menores. porque como escreveste, they had no choice.

    ResponderEliminar
  4. Nenhuma.
    Lê as histórias no link que deixei.

    Confesso que estremeço horrorizada ao imaginar o pavor de um cavalo ou de um cão no meio das trincheiras da I Guerra Mundial. Muitos dos soldados sobreviventes foram perseguidos durante anos pela memória dos estrondos, uma autêntica doença, diagnosticada e reconhecida como tal. Imagina um pobre animal.

    ResponderEliminar
  5. Que lindo. E justo, e paragem obrigatória quando lá voltar.

    ResponderEliminar
  6. Honra aos ingleses que se lembraram de construir este monumento!
    Obrigada por partilhar, Teresa. Não conhecia, e é claro que procurarei lá ir na próxima visita a Londres (este ano, espero).
    Li as histórias e comovi-me com o poema.

    ResponderEliminar
  7. Por acaso estive lá no ano passado e fiquei impressionado. Só num país como a Inglaterra, que entrou em ambas as grandes guerras, sofreu todas as agruras possíveis e imaginárias na pele e ainda se lembrou de homenagear os animais que padeceram tormentos pela insanidade humana. Notável, sem dúvida.

    ResponderEliminar
  8. Também pensei nisso, Gi, também pensei que uma ideia destas teria de partir de ingleses (apesar do gosto de certas camadas pela caça, que me horroriza).

    O poema é profundamente tocante. Tal como o quadro.

    ResponderEliminar
  9. E eu nem sei dizer o quanto gosto deste blog e o quanto me toca com determinados temas (por isso é que nunca disse, fico só a ler). Com este arrebatou-me, mais uma vez.

    ResponderEliminar
  10. Mas uma coisa que não entendo é como é possível em 1943 reconhecer-se o valor de um animal através da atribuição de uma medalha e em 2012uma (ia dizer pessoa mas arrependi-me) Katinka Simonse andar por aí impune?

    ResponderEliminar
  11. Sofia, muito obrigada pelas palavras tão queridas.
    Volte sempre, mesmo sem comentar. :)

    ResponderEliminar
  12. Já não me lembrava deste monumento.
    Triste mas louvável.

    ResponderEliminar