quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Deus vos pague...





O que se segue começou por ser a minha resposta na caixa de comentários (já lá está). Mais vale publicar como post. Ou, como diz o David e me parece muitíssimo bem achado... como entrada. Um blogue não é muito diferente de um diário. O meu, pelo menos, não é.
Desculparão as mais do que prováveis falhas do texto, que foi escrito de rajada.


A todos-TODOS o meu sensibilizado muito obrigada. Lá da Rainbow Bridge onde voltaremos a estar juntas, sei que Messy abana aprovadoramente a cabecinha sedosa e agradece também.

Entre os comentadores tão carinhosos há pessoas (demasiadas, infelizmente) que passaram recentemente por isto, percebem na pele e isto é um reavivar de feridas ainda não cicatrizadas. Mas todos-TODOS os que têm bichos que adoram vivem no terror deste dia. Para esses fica um beijo muito especial.

Agradeço os telefonemas, SMS e mails tão carinhosos que recebi e a que ainda não respondi. Agradeço aos que não conhecia e que vieram aqui pela patinha do Van Dog deixar uma palavra de solidariedade. Fiquei rendida de ternura a imaginar a linda Nina de 21 aninhos da Gasolina (o que eu não daria para poder ter Messy comigo mais sete anos!).

Agradeço à querida M&M, com quem tenho uma empatia parecida com a que tive desde o princípio com as Cangalheiras do Apocalipse e com as Cell Blog Chicks, a disponibilidade total. Não eram meras palavras, senti quanto a oferta era espontânea e franca, sei que foi ela quem avisou a Safira, por exemplo.

Agradeço ao querido Cívico Anacleto (nosso guarda predilecto) as palavras e o post no seu blóguio. Não sei quem é, sei apenas que é alguém do meu grupo do Liceu...

Agradeço ao Van Dog o post que aqui trouxe tanta gente, o mail...

Um dia destes, voltarei a escrever, sim. E contarei coisas de Messy, coisas tontas e doces que, mesmo no meio da tristeza, me fazem esboçar um sorriso.

Dói-me a ausência do peso dela na minha anca quando me deito. Agri, que costumava dormir aos pés da cama, vem agora instalar-se junto do meu peito, colada a mim. Fico a fazer-lhe festas e a dizer-lhe coisas só nossas, para a acalmar. Mas ela nunca ronrona, também está a lidar com a perda.

Angustiam-me os longos dias de trabalho, quero largar tudo e vir para casa o mais depressa possível, para estar com ela, para ela não estar sozinha.

E acho que o melhor é transformar mesmo esta resposta às vossas menagens num post...

Copiar e colar, é simples.

Obrigada a todos, do fundo do coração. O vosso carinho foi-me infinitamente consolador.

10 comentários:

  1. Atão, miúda? Como é que isso vai? Olha, demorei tanto tempo à procura da melhor fotografia de Messy que só agora é que me saiu o post. Antes tarde que nunca. Call me.

    ResponderEliminar
  2. E aposto que lá, na Rainbow Bridge, o que não faltam são bidés com as torneiras abertas!

    :)

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga, nada que agradecer, uma vez que Deus já nos abençoa por termos uns aos outros com uma sintonia tão boa nesses assuntos do coração, os agradecimentos devem ir só pra Ele, por termos tido esses anjos que tivemos pelo tempo que nos foi permitido e por ter, ao perdê-los, gente querida que nos entenda e nos apoie na cumplicidade da inevitavel dor que se segue. Essa dor que dura muito tempo, ora se abranda, ora nos ataca de súbito, mas aprende com o tempo a encontrar caminhos para escoar. Fazer bem em mimar a Agri em excesso (Lê isto: http://gatos.pwup.com/topic11.aspx) ela sente igualzinho a ti e entende menos o que está a passar, aperte-a contra o peito e diga-lhe todo o dia o quanto lhe ama. No mais, é deixar lentamente as coisas se acomodarem e homenageá-los sempre com a vívida lembrança que nos deixam até que tornemos um dia a os encontrar. Grande beijo.

    ResponderEliminar
  4. Vim aqui parar porque li desta perda no blog creio que de uma amiga sua Mad do Juro que tenho mais que fazer, enfim elos-atras-de-elos.
    Vim ver a Messy, tenho um Schubert que lhe dá ares, há 5 anos e há cerca de dois passei por um susto com ele que me deixou arrasado. Felizmente está de boa saúde. tenho mais três, a Yasmin, a Florinha e a Charline. Dormem na minha cama comigo e com a minha mulher quase todos os dias. Somos, cá em casa, principalmente a minha filha, loucos por estes montinhos de pelo com bigode. Sinto o que lhe aconteceu. Um abraço de solidariedade.

    ResponderEliminar
  5. Espero que a Messy esteja a fazer companhia ao Tweety e ao Bolinhas, de quem tenho tantas saudades... Eles vão estar à nossa espera, com muitas marradinhas, ronrons, e patinhas a amassar.

    Beijinhos, Teresa. E força!

    ResponderEliminar
  6. Oh linda... a gente nao fez mais que a nossa obrigacao de amiga. Sei bem o que custa. O dia 26 de Janeiro e' o aniversario da minha Piggy (caozinha).. fez 15 anos.... e temo muito que nao veja o proximo aniversario. A Viana, siamesa da minha mae, tb estimamos que tenha perto de 20 anos. Alem disso, o dia 26 tb e' marcado por uma grande perda humana... Uma verdadeira tragedia porque ele era mais velho que eu 1 ano apenas... Mas a sua morte mudou muitas vidas, e tudo evolve e continua... Nunca esquecemos, mas a verdade e' que, nao sei como, anos mais tarde, as suas memorias ja nao trazem dor... antes nos reconfortam e aquecem o coracao nos tempos mais frios. Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Mad,
    E escoheste uma das minhas favoritas, Messy com aquele ar institucional tão só dela. Linda, minha Messy!
    Obrigada por estares aí, tu que continuas a chorar o Batata.

    David,
    O seu comentário pôs-me a chorar. Percebi a delicada atenção de procurar Messy por aqui... e de ter desembocado num post muito antigo. Sim, Messy adorava beber água directamente da torneira do bidé. :)


    Querida CoRa,
    Agri, ontem à noite, ronronou pela primeira vez, já na cama, eu a tentar confortá-la e confortar-me. Mas sinto-a perturbada, perdida.

    ResponderEliminar
  8. PreDatado,
    Veio pela mão certa, que a Mad é uma amiga querida. E que passou por esta mesma provação há muito pouco tempo.
    Obrigada. E um grande beijo ao Schubert, à Yasmin, à Florinha e à Charline, e que Deus lhos conserve por muitos anos. Um beijo à sua mulher também, que percebe que qualidade de vida é ter os nossos bichos adorados a dormirem na cama connosco.

    Patrícia,
    Vão, SIM!!! Esta saudade um dia vai ser apaziguada!
    O Tweety e o Bolinhas esperam por nós, rondam a Rainbow Bridge. We'll meet again...

    AEnima querida,
    Mais perdas este ano (que ainda vai no princípio) NÃO!
    Rezo para que não tenhas de passar por isto nos próximos tempos. Eles são o melhor de nós.

    ResponderEliminar
  9. Não fazia ideia, querida Teresa... :( Desde que te conheço que oiço falar nas tuas duas meninas, a Messy e a Agri. Aliás, conheci-te como Agripina, lembras-te? Sinto-me triste por não ter sabido, por ter andado tão alheada e não ter tido as palavras doces e reconfortantes que tiveste para mim quando a Maria partiu. Ficámos uma hora ao telefone. Eu a chorar e a desabafar e a chorar e tu ali a chorares comigo do outro lado da linha. A Maria e a Eva foram esperar a Messy do outro lado da ponte do arco-íris, onde um dia nos reuniremos todas. Tenho a certeza. Um beijo grande, grande, grande...

    ResponderEliminar