domingo, 4 de março de 2007

Era uma vez uma astróloga...

Não é que eu ache que a minha vida pudesse dar um festival de cinema, como a da Actriz Principal. Mas lá que tem tido coisas bizarras...

Por razões óbvias, não posso usar nomes reais. Com o meu proverbial azar, ainda levava com algum processo em cima, que uma certa pessoa que faz indirectamente parte desta história adora atacar por essa via.

Há muitos anos (1989) eu era secretária do Rui. Grande amigo de quem tenho muitas saudades, morreu há cinco anos. Um entertainer nato, uma cabeça brilhante. O que nós ríamos juntos dava muitas páginas se me pusesse agora a lembrar. Foi a enterrar no dia em que a filha mais nova fazia 15 anos. Que triste, não é? Posso dizer que a vi praticamente nascer, porque estava à porta da sala de partos da clínica, e ouvia os gritos da mãe lá dentro. Quando a Marta no ano passado fez 20 anos enviei-lhe um presente que a deixou comovidíssima (não devo dizer o que foi), telefonou-me em lágrimas a agradecer. Donde se prova que os presentes caros nem sempre são os de maior significado. Este, pelas minhas contas, deve ter custado coisa de 65 cêntimos, mais envelope almofadado de correio verde.

Mas vamos à história. Em 1989 o sr. X, que era amigo do Rui, foi nomeado director de um jornal a que vou chamar A Patada, jornal com mais de cem anos de vida, um arquivo fotográfico inestimável. Viria a acabar em coisa de seis meses (tanto quanto me lembro foi entre Setembro de 89 e Março ou Abril de 90). E pediu ajuda ao Rui. O jornal estava em péssima situação financeira, havia milhares de contos de publicidade a cobrar e ninguém mexia uma palha. Tomámos conta da situação. E eu vi-me de repente com cinco páginas diárias a meu cargo – a Agenda. Havia lá de tudo. Programação da televisão, curiosidades (um dia destes hei-de ir à Hemeroteca tentar arranjar cópias dessa minha estranha passagem pelo mundo do jornalismo), farmácias de serviço. Entre as únicas rubricas realmente criativas e da minha lavra pessoal, que me lembre agora – já passaram tantos anos! – havia uma coisa chamada Pequena História das Grandes Invenções – um terreno que acho fascinante. Coisas como a tesoura, o clip, o post-it. As coisas vulgares e tão úteis em que nem reparamos. Outra rubrica a meu cargo eram pequenas biografias. Escrevi muitas, mas estranhamente neste momento só me lembro de Mozart, claro, deve ter sido logo a primeira, com a minha devoção por ele – o Victor costuma dizer que Mozart para mim não é uma paixão, é uma religião – e da Agatha Christie. E lembro-me de ter citado uma frase giríssima lida algures que a definia como «a mulher que mais lucrou com o crime desde Lucrécia Borgia». Pobre Lucrécia, que até parece que nem era nada disso. Más famas que se arranjam...

Pronto, chegámos ao ponto fulcral (decididamente, o poder de síntese não é uma das minhas qualidades). A astrologia. A maldita astrologia. Também era eu que escrevia aquela bodega todos os dias. E, como diria a minha mana AEnima, don’t get me started on that! Sofro desde sempre de uma desconfiança crónica em relação à astrologia e derivados. Quando alguém se diz muito espiritual ou muito dado às espiritualidades a minha primeira reacção instintiva é um recuar prudente. É possível que tenha pela frente alguém admirador do Paulo Coelho (que odeio). Mas adiante, let’s get to the point.

Consultados diversos jornais e revistas, decidimo-nos por um formato que para cada signo fazia previsões em três campos: amor, saúde, dinheiro. O que queria dizer que eu todos os dias tinha de inventar 36 tretas diferentes. Para mim era um martírio. Eu que, com a maior das facilidades e enquanto a Diabba esfrega um olho, encho duas ou três páginas em poucos minutos, agonizava em frente do ecrã teimosamente em branco. Cheguei ao desespero de, na redaçcão, tudo atarefadíssimo, gritar «Há aqui alguém de Carneiro?» Lá se levantava um braço e eu perguntava: «O que é que quer hoje para o seu signo?». E lá me vinha alguma ideia. Com o tempo tornei-me manhosa. Guardava os ficheiros todos e depois era só ir buscá-los e misturá-los. As previsões amorosas para Balança passavam duas semanas mais tarde para Caranguejo. Nunca ninguém deu por nada.

E depois rebentou a bomba.

Um belo dia, por volta das duas da tarde, ainda sem almoçar porque estava a acabar um texto qualquer na redacção, onde aliás estava sozinha, tocou o telefone. Atendi. A telefonista passou-me uma chamada com uma «Ó Dr.ª, acho que isto é consigo». Só lá pelo terceiro mês no jornal consegui que ela me tratasse pelo nome, cansei-me de lhe explicar que não tenho licenciatura alguma e decorrentemente qualquer direito a ser tratada por Dr.ª.

Ela passou-me a chamada. Uma voz de senhora idosa, diria que lá pelos 70 anos. Queria falar com o astrólogo. «MERDA! – pensei imediatamente com os meu botões – Fui apanhada!!».

Compus o ramalhete o melhor que fui capaz – tenho bastante sangue-frio em situações de emergência. Disse com a voz mais simpática possível que a pessoa que fazia a astrologia era só um colaborador do jornal (género masculino, reparem, a sacudir água do capote), que normalmente nem ia lá, mandava-nos a coluna por fax. O pior foi que a senhora não me largava. Queria saber se ele (boa malha, ficou a achar que era um homem) tinha consultório nalgum lado, gostaria muito de marcar uma consulta...

Estão a ver a minha situação, não? Em palpos de aranha, no fundo cheia de pena da senhora, fui dizendo umas coisas do género «bem, que eu saiba, ele não tem consultório. Acho que é mais um estudioso da astrologia... Como lhe disse é um colaborador, nem o conheço...»

A senhora já estava na maior intimidade comigo. E confessou-me a razão da sua insistência. Passo a citar literalmente, porque é impossível esquecer:

– Sabe o que é, minha filha? Desculpe estar a maçá-la. Mas é que eu sempre achei muita graça a esta coisa dos signos. E com o vosso jornal acontece uma coisa muito estranha, que nunca me tinha acontecido. É QUE ACERTAM SEMPRE!

Senti-me a maior charlatã de todos os tempos, mas não ia tirar as ilusões à pobre senhora, pois não? E de repente tive uma visão hilariante da minha pessoa, instalada numa banca da Rua Augusta (o jornal era lá), com um turbante na cabeça, argolas gigantescas nas orelhas, um nome exótico e uma bola de cristal, a prever parvoeiras inventadas no momento aos crédulos mortinhos por acreditar nessas coisas.

Questão pertinente: terei eu passado ao lado de uma grande carreira?

Mensagem oculta: da próxima vez que lerem o vosso horóscopo, seja num jornal ou numa revista, lembrem-se desta história.

28 comentários:

  1. Já estou a ver as parangonas dos jornais!
    "A Grande Médium Teresa Bum-Bum, Com mais de 30 anos de experiência na área. Acerta sempre. Casos de amor, dinheiro ou trabalho. Poderosa Maga Europeia. (Se dissesse portuguesa ninguém lá ia. Nem os tugas acreditam nos tugas).

    Depois em letras pequeninas
    "Pagamento após obtenção de resultados, sinal de 10% aquando da consulta, não dispomos de livro de reclamações"

    Depois em letras enormes "Ligue Já 217- põe põe - tira tira - mete mete e resolva de uma vez por todas os seus problemas"

    Tou a rir que nem um perdido! Se não sair bem, paciência! Mas gozei o prato!

    Beijinhos amiga

    ResponderEliminar
  2. Excelente texto.
    Julgo que não passou ao lado de nenhuma grande carreira, porque "astrólogos" de jornal...são todos os que fazem essas colunas. Ao que sei, têm leitores assíduos, mesmo crentes...Pobre povo!
    Não é por acaso que o "24 Horas" e o "Correio" vendem os exemplares que sabemos. E a caminho disso está o histórico "Diário de Notícias", que o Oliveira do futebol vai transformar num "jornal popular"....
    Confesso que não leio o "DN" há anos, mas faz pena ver uma "instituição" nas mãos de pessoas que de jornalismo nada sabem. Já estou a ver na primeira página "Sobrinho esfaqueia tio por ciúmes" e afins.
    Obrigado pelo texto magnífico.

    ResponderEliminar
  3. ahahahahah (rindo escandalosamente)

    Acreditas k NUNCA leio essas tretas nem nas revistas nem nos jornais??

    1º - porque não sou crente nessas tolices!
    2º - porque sempre achei que era exactamente isso que acontecia! (haver um marmanjo/a a dar voltas ao miolo para arranjar umas coisas para dizer) assim como assim ninguém reclama, pois a acertar seria uma vida monotona, repara:
    "Capricórnio,
    Amor: Cuidado com os novos amores, semana dada a aventuras fugazes.
    Saude: Abstenha-se, o figado vai mal.
    Dinheiro: Poupe hoje para ter amanhã, tempos dificeis em aproximação"
    todos os capricornianos (casados solteiros, viuvos e divorciados) andariam por aí aos saltos a ter aventuras fugazes.
    e os que não bebem?? ficam sem prognostico para a semana?? ou começam a beber, para dp terem cuidado com a bebida?
    dinheiro? poupar?? olha olha... podes dar esse conselho a todos os signos!!

    Mas (tendo uma ideia genial - nota a modéstia) se por acaso decidires voltar à profissão vou ctg, tenho uns poderes ocultos (hihihihihi), uma cortinas com estrelas luas e sois, insenso e o meu ar... tu vais ver, ficamos ricas!! tu poderás comprar as tais carteiras que gostas e eu vou viajar e não sei se volto!

    Serei tão convincente que quando eu disser "vai ficar na penúria, tendo em conta que o seu marido gasta tudo com brasileiras" a vitima acreditará tão piamente k
    me entregará todo o $$$ que tiver (e o k não tiver tb) para eu livrar o marido do feitiço... e lá se realizará a profecia, fica na penuria pq me entrega a massa toda!! viva eu!!

    beijos d'enxofre

    ResponderEliminar
  4. poder de sintese... por onde andas??? cruzes...

    (cuspinhando enxofre)

    ResponderEliminar
  5. Ahhhh e "a Patada" não é o jornal do Tio Patinhas?? não me digas k foste colega do Pato Donald e do Peninha... hihihihihihihi

    espalhando enxofre

    ResponderEliminar
  6. Morsa
    Diabba
    José

    Imbecil como quase sempre, respondi-vos no post anterior. Sorry!

    ResponderEliminar
  7. Teresa, responder no texto anterior só para aumentar o nº de comentários não vale! ;)

    Eu cá Horóscopos só lia um, o do jornal Metro, que infelizmente acabou. Era o único que gozava verdadeiramente com isso. E termino por aqui, que esta semana os Peixes devem ser breves! ;)

    ResponderEliminar
  8. Eu por acaso já tinha reparado!
    Mas foi uma salada do pior... Misturaste respostas a este post com respostas ao post anterior...

    Como é que te arranjaste pra isso é que me escapa!

    Ontem ainda te deixei umas palavrinhas mas já não falámos. Foi um prazer.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Ao contrário do que muita gente pensa a astrologia é uma ciência que não deve ser confundida com crendice ou com previsões de vão de escada. Quem procura o oculto raramente o encontra. Como disse pessoa "O oculto não se procura encontra-se". Acontece que com o avanço da sociedade em que todos vivemos faltam cada vez mais as referências e as pessoas procuram algo em que acreditar, algo que lhes diga que para além disto existe mais qualquer coisa. Por outro lado os psiquiatras e psicólogos cobram rios de dinheiro para nos atormentar a mona repetitivamente, nós ficamos mais frustrados do que quando começámos, eles mais iluminados e os nossos bolsos mais vazios. O que é que resta? Dá-se 25 euros por um mapa astral e uma breve consulta na esperança de que venham dias melhores. Quem diz isto diz Tarot, linhas da mão, pêndulo, etc. Em tudo isto existe uma parte que mexe com as energias naturais de cada pessoa, mais ou menos intensas. É óbvio que nenhum destes métodos é infalível, antes pelo contrário, basta dizer que nós traçamos o nosso próprio destino. Na vida existem dois pontos que estão determinados: o nosso nascimento e a nossa morte. A forma como percorremos o caminho entre um ponto e o outro é decisão exclusivamente nossa. Existem muitas coisas para as quais não se encontram explicações científicas, mas isso não quer dizer que não existam. Existem os cépticos que não acreditam em nada, dizem eles, mas na hora da agonia gritam "valha-me Deus". Todos acreditamos em qualquer coisa, seja ela qual for e todos tememos alguma coisa porque somos humanos e temos plena certeza das nossas limitações. Escrever previsões astrológicas num jornal ou numa revista pode parecer idiota, mas acreditem que para alguém elas vão bater certo dados os vários milhares de leitores. Uma vez eu li uma que dizia que nessa semana eu não teria problemas com dinheiro e foi verdade, andei toda a semana teso que nem um carapau, logo não tive problemas com o dinheiro tive por falta dele...rsss. Em todas as ciências é necessário saber interpretar muito bem o que se lê e isso nem todos sabem fazer e acabam parecendo vendedores de banha da cobra. Atenção não estou a defender nada nem ninguém, estou apenas a dar o meu contributo no sentido de tentar esclarecer o melhor possível sobre áreas em que participei activamente como estudante ou curioso e das quais abdiquei há muito tempo.
    Quanto a si minha querida Teresa quem sabe se não daria uma excelente astróloga pois na verdade tudo isso não passa de um meio a que as pessoas recorrem para serem ouvidas, para terem alguma atenção para esta ou aquela dificuldade que estão a passar. Elas querem apenas conforto e que alguém lhes diga, tal como o faziam a mãe e o pai, amanhã virão dias melhores. E afinal não é isso que todos nós queremos?
    Já agora acrescento que sou peixes de 18 de Março e que tenho ascendente em Caranguejo e os principais planetas, Marte e Mercúrio em Carneiro. Um feitio terrível e ninguém me suporta que o digam as minhas ex...rsssss
    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Linda, deixaste-me a chorar... mas lagrimas felizes, de saudade... adoro tanto essa musica, mas tanto... andava ah procura dela ha tanto para a guardar no meu computador e relembrar sempre. Tb tens o "com um brilhozinho nos olhso"? ai que linda!!!! Ainda so ouvi pedacos, porque o download eh lento... mas ja inundei isto de lagrimas,.. ando assim sentimental, deixa la.

    ResponderEliminar
  11. Olá, Teresa, por agora vim só agradecer a visita e retribui-la.

    ResponderEliminar
  12. Mana,
    Tenho o Com um Brilhozinho nos Olhos e a maravilhosa Balada da Rita. Vou gravar para o pc, alojar no GoEar e a seguir mando-te os códigos. Ou então pesquisas o meu nickname, Messalina (grande surpresa, não?), e aparece-te lá.
    E olha que essas lágrimas só fazem bem. Tu nem imaginas o ataque de choro que eu tive em plena rua em Salzburg quando vi que estava à frente da casa onde nasceu o meu Mozart!

    ResponderEliminar
  13. Rafeiro, vê como eu não faço batota e não engrosso o n.º de comentários do post anterior.

    Respostas em atraso à Mana Adoptiva (ainda sobre os oscars)
    1 – Ellen DeGeneres. Nem sabia que ela tinha livros publicados. Já me meteste em despesas. Fui à Amazon... e já estão no carrinho. A mandar vir brevemente, este mês nunca mais acaba...

    2 – A miúda. Muito boazinha és tu, que só achas que ela parecia uma Bomboca de Morango inchada. Eu acho que parecia mascarada para desfilar num carro alegórico do Carnaval de Sines. E topa-me aquela bainha! Aquilo seria arame?

    3 - Cate Blanchett. Sem dúvida! Estava esplendorosa. E faz-me lembrar a Glenda Jackson. Outros vestidos: a Beyonce já nos Golden Globes estava grotesca, uma espécie de Barbie meets Star Wars, ou Pequena Sereia em dourados. Desta vez era mais bolo de noiva, tens razão. E a rapariga é tão bonita que faz pena. A Ellen? Nem do tuxedo branco gostei, parecia que tinha sido vestida pelo guarda-roupa Anahory.

    4 - George Clooney. Hoje estou generosa. Como já disse à Diabba, até estou disposta a deixar-te ficar com ele. Em troca do Jeremy Irons, claro. Deal?

    ResponderEliminar
  14. Eu amanhã vou tentar entrar neste blogue, talvez com outro nome.
    Cícero

    ResponderEliminar
  15. Ah!, já me esquecia. Fui quem escreveu um texto que me demorou uns 45 minutos a escrever e onde tentava reproduzir uma anedota ilustrada com uma cartomante e que não consegui fazer entrar neste blogue. A fúria foi tanta, acrescida de um tal desalento, que tive de fazer um intervalo e resolvi sair de Roma e ir para a minha "vila" em Óstia.
    Cícero

    ResponderEliminar
  16. Cícero,
    Que coisa tão estranha! Não consigo perceber como não consegue entrar! Caso para o citar no seu célebre O Tempore, o Mores!

    ResponderEliminar
  17. CÍCERO DIXIT:

    Vou por partes com medo que se perca o texto. Primeiro quero dizer que acho um piadão a anedotas ilustradas boas, segundo o meu gosto, e até as recorto para um caderno. Como o design deste poster é semelhante ao de uma das anedotas ilustradas, eu lembrei-me dela. A cena apresenta uma cartomante com a sua mesa e em frente dela está um homenzinho tipo manga-de-alpaca. Na mesa estão várias cartas expostas e um par de óculos. A anedota tem quatro momentos.

    ResponderEliminar
  18. CÍCERO DIXIT:
    1º Momento: Por cima da mulher há uma núvem (pensamento dela) onde se vê o homenzinho, como maestro, usando as mãos para dirigir um grupo de violinos, mostrando bem os seus arcos.
    2ºMomento: Por cima do homem há uma núvem, onde se vê uma grande orelha com um "X" em cima.
    3ºMomento: A cartomante diz "Ah!" e leva uma mão aos óculos.
    4ª Momento: O homem com os olhos muito abertos. Por cima da mulher há uma núvem onde se vê o homem com as mãos na mesma posição em que estava quando dirigia os violinos, mas agora protesta em frente de um pelotão de fuzilamento, onde ele é a pessoa a fuzilar e em vez de violinistas há soldados empunhando espingardas na mesma posição dos arcos de violino.

    ResponderEliminar
  19. Delicioso! Essa cartoon não seria por acaso do meu venerado Quino?

    ResponderEliminar
  20. CÍCERO DIXIT:

    Agora não posso saber, porque me parece que esse caderno está na outra casa, muito longe desta donde escrevo.

    ResponderEliminar
  21. eheheh... Ai que vieram agora 'a cabeca tantas historias malandras dessas que tive que fazer tambem!


    Mas acredita, mesmo antes de saber esta historia, ja apostava com qualquer um que era assim que se faziam os horoscopos!

    Nos nao somos manas... nos simplesmente erramos tanto, mas tanto em vidas passadas, que Buda achou que nao podiamos reencarnar uma vez so por vida... assim, nesta encarnamos duas vezes, com uns 17 ou 18 anos de diferenca... Ja se estava a fazer tarde... tu nao estavas a espiar todas as maldades feitas no passado e tive que nascer eu para completar a festa.

    Nao faz mal Teresa, no fim ja poderemos ir as duas direitinhas para o ceu!

    ResponderEliminar
  22. Li agora a tua resposta aqui aos meus comentarios. Jeremy Irons... hum... A voz vale pelo menos 50% do conteudo necessario de um homem para ser meu amante... mas precisa de ser jovem o suficiente para o ser fisicamente... E o Jeremy, embora bata o clooney aos pontos na voz... ja nao o faz na... idade, digamos... :) Pode ser, deal!

    ResponderEliminar
  23. Adorei esta história. Olhe, se alguma vez se vir em apertos financeiros, já sabe... tem sempre a hipótese de dar consultas. Eu, se fôr para os disponíveis, é o que faço.

    ResponderEliminar
  24. Em apertos financeiros ando eu sempre, Clara. Mas como sou bem formada não me sentiria nada bem a tirar partido da credulidade alheia.

    ResponderEliminar
  25. atenção pessoal não confundir horóscopos com Astrologia. um estudo astrológico sério é feito para ( e sobre) a própria pessoa, baseado nos dados únicos desse sujeito. envolve alguns cálculos matemáticos e a utilização de tabelas para determinar a projecção dessa pessoa no mapa zodiacal, também chamado carta do céu. aconselho principalmente aqueles mais cépticos ou mesmo descrentes a fazer um estudo desses. podem ter uma boa surpresa! mal comparado, pode ser assim como odiar peixe cozido e depois de ter provado os pratos japoneses de peixe crú chegar à conclusão que é muito melhor que peixe cozido!
    fala a voz e o paladar da experiência ;0)

    béus xxx

    ResponderEliminar
  26. Tinhas razão, adorei...quase tudo. Ouve lá, eu leio Paulo Coelho! E agora?
    Acredito piamente que todas as Mayas do mundo começaram como tu...mas perceberam a fórmula e resolveram ganhar dinheiro com isso.
    Beijos

    ResponderEliminar
  27. lol

    mais uma vez adorei o post como eu costumo dizer "fabuloso" definição de fabuloso para mim - está bem estruturado e explicado, enfim uma leitura agradável e nada maçadora.

    dá gosto ler-te, não axes é exagerado quando lhe chamo fabuloso nem me interpretes mal.

    beijos.

    neste post consigo ver as barras laterais!!

    ResponderEliminar
  28. gostei imenso deste post

    (ainda não li mais nenhum neste blog)

    ResponderEliminar