quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Mais dois bons conselhos

Como diria Afonso da Maia, está hoje um tempo de Inglaterra. Como tal, e porque sei que mais anglófilos como eu espreitam regularmente este blogue, aqui ficam duas recomendações. Que para eles serão muito provavelmente desnecessárias, uma vez que já devem ter visto estes dois magníficos filmes, mas que valem para os restantes.


O antepenúltimo filme de Robert Altman, sete nomeações para os Oscars, incluindo melhor realizador, melhor filme e melhor actriz secundária — Dame Maggie Smith (palavras para quê?) e Dame Helen Mirren, que também já vi no teatro em 2001, numa peça de Strindberg, The Dance of Death, em que contracenava com Ian McKellen.


Uma quase fidelíssima adaptação do belíssimo e melancólico romance de  Kazuo Ishiguro. Realizado por James Ivory, teve entre os produtores o meu muito querido Mike Nichols. Oito nomeações para os Oscars, perdeu em todas as categorias. Convenhamos que concorria com gigantes, o ano não lhe foi muito favorável: os Oscars de melhor filme, melhor realizador e melhor argumento adaptado foram para A Lista de Schindler, o de melhor actor para Tom Hanks em Philadelphia, o de melhor actriz para Holly Hunter em O Piano (filme que odeio), o de melhor banda sonora original para John Williams — A Lista de Schindler, o seu quinto Oscar entre incontáveis nomeações.

Uma obra-prima.

10 comentários:

  1. Olá,vim conhecer seu cantinho e já estou super seguindo!
    Parabêns pelo Blog e sucesso pra ti!

    Se quiser me fazer uma visitinha,será muito bem vinda e se quiser seguir também,sinta-se em casa!
    beijinhos no core!

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Gosford Park nunca vi, Remains of the Day sim, e também gostei muito.
    Mas gostei também muito (mais) de The Piano, uma espécie de estudo sobre a incomunicabilidade e os sentimentos excessivos.

    ResponderEliminar
  3. Gi, confesso que detesto O Piano. Dei-lhe uma segunda oportunidade e a opinião foi a mesma. Embirrei, embirrei, embirrei. Bem sei que devo estar quase sozinha nisto, mas a verdade é mesmo essa.

    ResponderEliminar
  4. Amei, tanto um como o outro.
    E quanto a O Piano, que adoro, mate detesta fortemente ;)

    ResponderEliminar
  5. Gostei dos dois, mas o Remains of the Day é muito, muito especial. Como se transmite tanta intensidade de uma forma tão contida...

    ResponderEliminar
  6. Izzie,
    Ainda bem que não estou sozinha. :))) Mas eu e your mate estamos em franca minoria, eu sei.

    Van Dog,
    Encontraste uma maneira muito concisa e feliz de resumir e definir o filme.

    ResponderEliminar
  7. Vi os dois, mas o "Remains of the day" ( que deu há pouco tempo num canal do cabo), é um dos filmes da minha vida.
    É brilhante!

    ResponderEliminar
  8. Não posso estar mais de acordo, como deve calcular, Cap Créus.

    E viu , também com Anthony Hopkins? O que eu chorei nesse filme!

    ResponderEliminar
  9. Tem uma excelente banda sonora, transmite uma calma, mas uma calma que nos obriga a pensar e se calhar a questionar-nos sobre as atitudes de Anthony Hopkins durante o filme.
    O que foi e o que poderia ter sido...

    ResponderEliminar
  10. Se calhar não estarei actualizado na sugestão, mas terá visto Downton Abbey, do mesmo genial Julian Fellowes? Infinitamente, "imho", melhor do que o Gosford Park que adoro sempre rever?

    ResponderEliminar