domingo, 16 de maio de 2010

As minhas aventuras e desventuras no Ebay

Prudência, muita prudência quando comprarem alguma coisa no Ebay, meus amigos! Aprendam com os meus erros. Meat Loaf cantava que «two out three ain't bad», mas eu tenho opinião contrária: duas compras desastrosas em três são mesmo uma média muito má.

Como contei aqui, comprei recentemente três pares de óculos de sol no Ebay. Foi a minha estreia no site, mas depressa percebi o mecanismo da coisa. Se encontrarem em leilão um artigo que vos interesse, NÃO licitem: ponham-no apenas sob observação, porque um dólar que acrescentem ao valor na mesa trará logo mais três ou quatro compradores interessados a cobrirem a vossa oferta, o que fará subir o preço final, coisa que não vos interessa absolutamente nada. Vejam a data e a hora do final do leilão (desde que tenham marcado o artigo para observação, o próprio Ebay avisa por e-mail), é nos últimos três minutos que a coisa se decide, e estar a licitar antes é dar tiros nos próprios pés.

Vamos então às minhas compras, omitindo os palavrões que me apeteceria dizer, se não fosse avessa a linguagem obscena. 

A primeira compra aparecia assim publicitada:

Os espertinhos fotografaram um par genuíno. Aquilo que recebi por correio foi esta anedota, fotografada ao lado dos meus castanhos pré-existentes:

Notam diferenças? Se tivessem aquilo na mão iam notar muito mais, a começar no peso (coisa de um quarto nos brancos, já para não mencionar o barulho que uma unha a bater nas lentes gritava: plástico! plástico!). À hora do almoço disparei como uma seta para o meu querido Gil Oculista, na Rua da Prata. Conhecem-me vai para 30 anos. Dividida entre a fúria e a vergonha por me ter deixado enrolar tão parvamente, exibi a minha compra. Não havia clientes, juntou-se tudo a rir à volta daquela falsificação grosseira. Primeiro apontamento de imitação: o papel celofane nas lentes (de plástico). Os legítimos Ray Ban não o trazem. Fomos para a Internet, a examinar a minha compra. «É preciso ter muita lata!», dizia o dono da loja. E eu e todos a concordarmos. Até o estojo, diferente do mostrado no Ebay, era falso, mesmo valendo provavelmente mais do que aqueles óculos da treta. A coisa toda cifrou-se para mim em mais uma despesa, que ainda tinham o mesmo modelo, só que já com uns anos, antes de a Ray Ban ter aderido ao movimento de ter a marca bem à vista, exibindo-a na lente direita e nas hastes (o meu amigo Artur, a pessoa mais refinada que conheço, manda retirar a etiqueta do bolso de todas as camisas Façonnable que compra, acha de mau gosto tê-la à mostra). Resultado: saí da loja com os mesmíssimos óculos, genuínos, por óptimo preço (mais ainda depois do desconto que uma freguesa tão fiel como eu merece). Comparem agora. Nem preciso de dizer quais são imitação e quais são genuínos, pois não?


No dia seguinte chegou-me nova encomenda pelo correio, os encarnados. Estes.

Estes foram comprados em leilão (foi quando aprendi a técnica), num dia em que estava exausta depois de muitas horas de trabalho. Valeu-me a Pituxa para me acordar e fazer-me vir para o computador, que eu estava com medo de não acordar e ela deita-se sempre muito tarde. Correspondiam integralmente à imagem, mas... girafa escaldada de água fria tem medo. Eu já estava muito de pé atrás, examinei o raio dos óculos com lupa (juro, tenho sempre uma na secretária, quer em casa quer no gabinete). As lentes eram de vidro, sim senhor, mas...

E lá fui novamente para o Gil Oculista. A Junta Óptica reuniu, examinou, vacilou, teve dúvidas, mas o veredicto final foi o mesmo: falsificação. Uma boa falsificação, é certo, passariam por verdadeiros a um olhar distraído. As lentes até eram polarizadas (não aprofundei esta parte, mas foram vê-las numa máquina esquisita). Provavelmente até terão saído da fábrica da Ray Ban, desviados por um empregado desonesto, não passariam no controlo de qualidade por causa de uma ínfima pinta de tinta encarnada na face interior das lentes, em que eu também já tinha reparado.

Sempre fui boa a reclamar. Denunciei estes impostores ao Ebay, deixei um alerta a futuros compradores, devolvi a mercadoria e exigi o meu dinheiro de volta. Usar imitações é para mim um não total.

Mas houve uma compra redentora, o terceiro par de óculos. Também disputado em leilão, e ganho por um dólar de avanço. Este par: 

No Gil, coitados, já tremem quando me vêem entrar. Gostam de mim e custa-lhes dar-me um desgosto, se vou lá submeter óculos a avaliação. Com este par ficaram entusiasmados. Era em segunda mão, como o vendedor honestamente avisavava, mas estava em perfeitas condições, lentes impecáveis. E era igual a dois pares que tive, comprados em 1982 (por mim) e 1984 (presente de um namorado, para substituir os outros, que eu tinha perdido). No Gil ficaram deliciados com a caixa, bem antiga, parece que a original (as minhas já não eram assim), com encaixe para pôr no cinto das calças, tipo coldre (blec!). Mais ainda se entusiasmaram quando examinaram os óculos com uma lente, e descobriram que hastes e armação eram as originais do modelo, de ouro de 14 quilates, coisa que o vendedor só podia ignorar, ou o preço teria sido substancialmente diferente.

Seja como for, de futuro manter-me-ei longe do Ebay.

10 comentários:

  1. Divulgue PF

    http://espacosdeconvivio.blogspot.com/

    Assim irei eu começar nesta caminhada pelos sitios mais agradáveis (ou não) que com o tempo vou visitando. este blog é isso mesmo, um espaço de convivio e quase que uma montra de espaços aconselhados para uns finais de manhã, tarde e noite.

    Obrigados

    ResponderEliminar
  2. Joel Sousa Carvalho,
    Não, obrigada.
    Não vou ler e ainda menos vou divulgar.
    Espreitei o seu recém-criado blogue, que veio aqui publicitar com um comentário que, aposto, vai espalhar por essa blogosfera fora, sempre igual, quer o autor do blogue esteja a falar de óculos de sol (o meu caso) ou a contar que lhe morreu a mãe.
    Tal como não leu nada do meu blogue, nada li do seu, fiquei-me pelo cabeçalho, e sete erros de ortografia são demasiado para o meu estômago.

    ResponderEliminar
  3. Comprar coisas de marca no ebay é uma roleta russa :P 90% da tralha q está à venda são imitações. Às vezes lá se tem sorte...
    *

    ResponderEliminar
  4. As tuas aventuras dão sempre lugar a gargalhadas deste lado.

    :)

    ResponderEliminar
  5. Eu só tive uma experiência no eBay e não foi grande coisa (moedas pseudo-antigas que acabei por recusar) mas sei de quem tenha feito excelentes compras.
    Não me sinto segura para me voltar a meter nisso.

    ResponderEliminar
  6. Depois de umas duas ou três compras perfeitamente inúteis, feitas por ocasião da minha febre Feng Shui (felizmente já sanada) deixei-me disso.

    E diz-me cá uma coisa: O Gil Oculista não faz uma atenção aos teus leitores, não? ;)

    ResponderEliminar
  7. Não tenho nada contra a ebay: há anos que lá compro e claro que já tive alguns percalços, mas digamos que 95% das compras foram sem problemas. Dos 5% restantes resolvi prontamente e a contento 4% e só o resto foi perda total. Se uma coisa boa tem a ebay, é ter um sistema de reclamações rápido e eficaz. Eles percebem logo qd o vendedor aldrabou e devolvem o dinheiro, no questions asked. A propósito, eu nunca tive de devolver nada! Imagine-se em Portugal...
    Não desista ainda da ebay e leia bem a descrição dos produtos, Teresa...com o tempo aprende-se a confiar...e desconfiar...
    No entanto, eu o q mais lá compro são CDs , DVDs e vinilo.

    ResponderEliminar
  8. É isso que me assuta e por isso nunca tentei uma compra no ebay.

    Mas a caixa dos óculos em segunda mão, as dos modelos recentes da ray ban são iguais, agora... são o máximo!

    ResponderEliminar
  9. Eu tenho uns óculos da Ray Ban.
    Os últimos são parecidos iguais aos do meu pai.

    ResponderEliminar
  10. Já me queimei uma vez no ebay. Mas uma queimadura bastante grave. Aprendi a lição. Nunca mais lá vou.
    Prefiro coisas mais seguras, tipo Amazon.
    Beijos

    ResponderEliminar