quarta-feira, 5 de março de 2008

Os homens são todos iguais

Infiéis. Uns impostores do pior!

Coisa que este anúncio, que considero um dos mais deliciosos que alguma vez vi, só vem provar - como se ainda fosse preciso. Rio sempre que o revejo.


É favor reparar no requinte da minha escolha de música para pano de fundo (a modéstia hoje tirou férias): Porgi, Amor, na voz maravilhosa de Gundula Janowitz. Mozart, As Bodas de Fígaro. Ah, já agora... não será má ideia parar a música para ver o filme... Mozart perdoa.

Breve explicação para os menos familiarizados com a ópera: Beaumarchais escreveu uma famosa trilogia de peças: O Barbeiro de Sevilha, As Bodas de Fígaro e La Mère Coupable. Só as duas primeiras foram transpostas para ópera. A peça de onde esta ópera foi retirada é hoje considerada um dos mais explosivos rastilhos da Revolução Francesa. Esta condessa de Almaviva que aqui canta esta ária pungente sobre a natureza efémera do amor é a alegre e maliciosa Rosina do Barbeiro de Sevilha (a obra precedente). Passaram alguns anos, ela casou com o conde... e não sabe o que aconteceu ao amor - parece que entre o século XVIIII e os nossos dias não mudaram muitas coisas, afinal. Apropriado ao filme, não vos parece?

13 comentários:

  1. É alguma piada para os homens do sporting???

    O filme é delicioso, mesmo. E a música nem precisa de comentários.
    bjs

    ResponderEliminar
  2. Já tinha visto, o que eu me ri...
    O tal programa dá aos domingos logo a seguir às notícias da hora de almoço, na sic. Vê, vale a pena.
    beijo

    ResponderEliminar
  3. É, são todos iguais, nem mesmo o Rei da Selva escapa...
    Mariazinha é antes das notícias e não depois.
    Jokas

    ResponderEliminar
  4. Efectivamente quase todos os machos são iguais... mas há excepções.

    Mas a expressão do leão, descoberto em flagrante coito, é fantástica. :-D

    beijo d'e

    ResponderEliminar
  5. Le Mariage de Figaro et Le Barbier de Seville...
    A causa da minha primeira reprovação na faculdade... Pela primeira vez levei uma disciplina a exame em Setembro - Literatura Francesa.

    ...

    Não são nada todos iguais, os homens.
    Digo eu, vá.

    Beijinhos, minha querida Teresa!!

    Lisa

    ResponderEliminar
  6. A culpa é da porcaria dos jornalistas. Especialmente de tabloides como "National Geograpic"...

    ResponderEliminar
  7. "Tabloides como o National Geografic"? Genial, Alf!
    LOL. Um comentário de 5 estrelas.
    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Por causa do teu comentário reparei que me faltou um "h", Ana...

    ResponderEliminar
  9. agora deixe ele saber o que ela fez com o cartão de crédito ilimitado que ele lhe deixou por esses dias... o bicho vai literalmente virar UMA FERA... e ela irá rir-se até não poder mais...

    ResponderEliminar
  10. Todos iguais não. Cada um mais sacana que o outro!

    ResponderEliminar