segunda-feira, 10 de março de 2008

Cenas de filmes da minha vida #11: A Dama e o Vagabundo

Para mim (e parece que também para alguém que sabe um bocadinho mais do assunto do que eu, um certo senhor chamado Steven Spielberg) é a mais bela cena de amor da história do Cinema.

Quando aqui fiz esta afirmação revolucionária e, em simultâneo, me queixei de não a encontrar no Youtube, a minha querida CoRa apressou-se a mandar-ma no Yahoo - infelizmente o site não permite publicação nem fazer cópia (seria a outra via, não muito ortodoxa, mas já a ela tive de recorrer algumas vezes... e mais não conto, se alguém quiser usar no seu blóguio um filme do Youtube e o antipático do senhor que lá o pôs não autorizar a reprodução, venha falar comigo, eu ensino - quem não tem cão... caça com girafa). Ontem foi a vez de o meu Huckleberry Friend intervir... et voilà!

Aqui fica a cena enternecedora, que me põe sempre de olhos rasos de lágrimas. Deixo-vos com ela, ao som de uma outra música imortal também saída dos estúdios Disney, num outro filme: Pinóquio. Anda por aí algures uma edição da história traduzida por mim. Confesso que é das coisas saídas da minha pena de que mais me orgulho. Aqui para nós, ficou mesmo bonita e expressiva.

A versão de When You Wish upon a Star é a original, cantada por Cliff Edwards (obrigada, Limewire).


10 comentários:

  1. Filme que, na versão de um dos meus filhos (não me lembro qual, são muitos), era "A Dama e o Catatumbo".

    ResponderEliminar
  2. Grunfff saiu agora o filme, repintado, melhorado, mais colorido e tal... custa 20€

    Ladrões!!

    beijo d'enxofre

    ResponderEliminar
  3. Olá Teresa!

    Mais uma vez, estamos online ao mesmo tempo!:)
    Como sabes muito bem, não foste tu que me dirigiste palavras desagradaveis... Eu é que fui tomada por uma raiva momentânea e acabei por ser mal educada. Desculpa a minha impulsividade.

    Já me arrependi, sei que não o devia ter feito, muito menos ter "participado" da "conversa".
    Não sou dada a esse tipo de atitudes mas, sinceramente, achei que foste bastante ríspida com a Lisa e ela não o merecia.

    Depois, agi muito mal em sua defesa. Mas era essa a minha única intensão - "defendê-la"!
    Apesar de eu saber muito bem que ela é uma mulher que sabe responder por si mesma.

    Mas olha, falta-me idade, experiência e aprendizagem para poder lidar melhor com este género de situações momentâneas.

    Mas é como tu dizes. Estas discussões inter-blogs morrem na caixa de comentários.

    E para mim, o assunto morreu.

    Aceito as tuas desculpas, assim como espero que aceites as minhas.

    E espero que tudo fique esclarecido entre vocês as duas

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Grrrrr...

    Queria dizer intenção e não "intensão"!

    Quando escrevemos à pressa e depois passamos a reler o que foi escrito, encontramos sempre um ou outro erro...enfim.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. É mesmo uma cena encantadora. O jeitinho de ele empurrar a almôndega pro lado dela, dando-lhe o melhor do jantar (com certeza na concepção dele) e ao mesmo tempo se desculpando pelo "beijinho roubado" sem querer...rsrsrs... É fantástico. Ai esses vira-latas (aí dizem rafeiros, não?)... adoro-os todos.

    ResponderEliminar
  6. Alf,
    Isso era uma versão dos chineses ou quê?!

    Diabba,
    A comprar um dia destes... ou a copiar... :)

    Allengirll,
    Considero o assunto mais do que encerrado. E eu fui bruta. Estamos entendidas :)

    ResponderEliminar
  7. CoRa,
    A cena é um portento, qualquer que seja o ângulo pela qual lhe peguemos.

    Van Dog,
    Pois... :)

    ResponderEliminar
  8. Linda de morrer. Perfeita, tens carradas de razão. Já não me lembrava...

    ResponderEliminar
  9. Eu ofereci o filme à minha mãe ... ela adorou! :)

    ResponderEliminar